Vizinhos do Loteamento EcoVille reclamam novamente de baderna no fim de semana

0
3237
Vista da cidade atrai jovens em busca de diversão. Foto: Luiz Eduardo Waltrick

Moradores relatam que após operações do POE a situação havia melhorado, porém, neste fim de semana a vizinhança não teve descanso em função do barulho

Há pouco mais de três meses o São Marcos Online expôs a reclamação dos moradores da Rua Rodolfo Polidoro, que dá acesso ao Loteamento EcoVille, na época os vizinhos reclamavam da baderna promovida por jovens que frequentavam o local às sextas e sábados, semanalmente, deixando lixo espalhado e moradores exaustos por não poderem descansar.

O loteamento é novo e por ficar em uma região alta e com vista privilegiada, acaba atraindo os jovens, que abusam do volume e da sujeira. O local fica próximo da Associação dos Motoristas e é cercado de moradias e condomínios.

Neste fim de semana o São Marcos Online foi novamente procurado pelos moradores que já não sabem mais o que fazer para poder permanecer dentro de suas casas.

O SMO conversou com alguns são-marquenses durante o fim de semana e algumas pessoas relataram que o barulho do som era audível em parte do Bairro Francisco Doncatto.

Uma das moradoras da Rua Rodolfo Polidoro enviou um desabafo ao jornal, por não saber mais a quem recorrer.

“Quero relatar que esta noite até praticamente manhã, na Rua Rodolfo Polidoro, loteamento novo ou já velho conhecido poit, onde carros rebaixados com som alto e motos sobem e descem n vezes. É impossível dentro de casa: conversar, assistir tv, dormir ou descansar, pois os Boys em suas máquinas horrendas impedem nosso direito ao sossego.”

Ela destaca ainda que na época em que a primeira matéria foi publicada a situação melhorou e que o POE fazia operações com mais frequência, por isso a situação estava ‘tranquila’, sem exageros.

“Depois da operação do POE ficou ótimo. A galera fazia festa sem atrapalhar a vida das pessoas. Após a festa dos motoristas tudo voltou a acontecer. Está insuportável. Esses jovens podem fazer quanta festa quiserem e onde bem quiserem contudo sem danificar a minha vida, o meu direito ao descanso e ao meu psicológico, além de desenvolver uma revolta imensa contra os jovens baderneiros e à BM.”

Na época o SMO fez contato com o engenheiro Paulo Chinelato, responsável pela execução do loteamento, que esclareceu que o Ecoville é aberto e não um condomínio fechado, encontra-se concluído e apto a receber edificações residenciais. A empresa disponibilizou lixeiras fixas e um funcionário às segundas-feiras para limpeza do local, que já sofreu inclusive, depredações.

Já o comando da Brigada Militar local informou, na época, que seriam feitas operações e autuações no local.

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui