Stranger Things

0
306

Sucesso da Netflix nos joga de volta aos anos oitenta

Cantava Raul Seixas: “Ei Anos 80, Charrete que perdeu o condutor. Ei Anos 80, melancolia e promessas de amor”. Melancolia? Nesta o maluco beleza errou feio. O período foi tudo, menos melancólico. A década de 80 popularizou o videogame, as histórias em quadrinhos, as bandas de rock, a arte simétrica, a moda colorida e principalmente o cinema pop. Em especial, a sétima arte deste período nos presenteou com filmes como “Os caçadores da Arca Perdida” (1981), “ET – O Extraterrestre” (1982), “De Volta Para o Futuro” (1985) e uma infinidade de outros títulos que são adorados até hoje.

Museu de Grandes Novidades

Stranger Things

Mesmo sendo a década que sedimentou a cultura descartável, os anos 80 deixaram lembranças que ainda hoje tem força. As redes sociais demonstram isto com inúmeras postagens que nos apresentam lembranças da época como os desenhos do He-man e Thundercats, passando pelo programa da Xuxa, até a batalha dos chicletes de bola Ploc e Ping-Pong. Existem legiões de adoradores dos anos 80, que nasceram só vinte anos depois. Para estes a Netflix está apresentando um verdadeiro deleite: a série “Stranger Things”. O programa não só se passa nos 80, como também se orgulha de utilizar os principais filmes oitentistas como referência. Na verdade, o seriado é quase uma cópia descarada destas obras, e não nos importamos com isto.

Em busca do garoto perdido

Stranger Things teve sua primeira temporada em 2016. Na história um garoto desaparece. Sua mãe está disposta a tudo para salvar o menino. Em Hawkings, a cidade do interior onde aconteceu o rapto, surge uma garotinha telepata. Esta se apresenta como Onze, ou Elevem no original. Ela não se lembra de onde veio, mas se dispõe a ajudar os amigos do desaparecido, a encontrá-lo. Esses são quatro garotos nerds que parecem saídos de filmes como “Conta Comigo” (1986) ou “Goonies” (1985). Através dos meninos a primeira temporada apresenta de tudo dos 80: fliperamas, RPGs, Bicicletas BMX, etc.

Duendes e Dragões

Stranger Things

Junto com Elevem surge um monstro, apelidado de Demogorgom pelas crianças, devido semelhança com um personagem de RPG. Este será o antagonista da busca do garoto desaparecido. Na parte da ação o programa claramente se inspira em filmes como “ET”, “Scanners” (1981), “Poltergeist” (1982) entre outros. Já na segunda temporada o menino sumido retorna, mas traz consigo várias criaturas malignas que precisam ser exterminadas. No segundo ano, o seriado utiliza como referência os filmes, “Gremlins” (1984), “Caça-Fantasmas” (1984), “Alien – O Resgate” (1986) e vários outros longas da época.

De volta para o Passado

Stranger Things

Dois anos após a segunda temporada, finalmente a Netflix nos entrega a terceira edição de Strangers Things. A espera valeu a pena. Agora os garotos estão mais velhos, entrando na puberdade. Na parte de relacionamento o programa foca em situações adolescentes, inspiradas em filmes como “Picardias Estudantis” (1982), “Porkis” (1981) e “Clube dos Cinco” (1985). Na trama sobrenatural, os Soviéticos estão fazendo experiências na cidade de Hawkings. Seu objetivo é abrir a passagem interdimensional que trouxe o Demogorgon para

nosso mundo. Mais que um buraco no espaço tempo, os russos acabam deixando outro monstro invadir o universo normal.

A Bolha Assassina

A nova criatura invade a mente das pessoas para controlá-las. Quando necessita, esta anomalia mistura a massa orgânica de vários seres para criar um monstrengo maior ainda. Seu objetivo: se apossar de Elevem. Como nas outras temporadas os garotos acabam se envolvendo com o problema e terão de fazer de tudo para mandar o monstro para seu universo. Mas será que simples crianças, e seus pais, conseguirão está proeza? O bom é que agora eles não são mais crianças…

Coca-cola é isto aí

Stranger Things

A terceira temporada de Strangers Things mantém a qualidade dos anos anteriores. É incrível o realismo que os diretores de arte e figurino conseguiram fornecer ao período apresentado. Boa parte do que me lembro da época está lá: as roupas coloridas de uma forma absurda; a febre pelos Shopping Centers; até mesmo produtos que não deram certo são apresentados, como a New Coke, uma versão alternativa e intragável da Coca-cola americana,

Gatinhas e Gatões

STRANGER THINGS

Na terceira temporada a série vale pelo envolvimento entre os personagens, pelas cenas de ação, pelos efeitos especiais e principalmente, pela possibilidade de se caçar vários easter eggs da década. Já as bases deste ano são claramente tiradas de filmes como “Invasores de Corpos” (1976), “Enigma do Outro Mundo” (1982), “Colheita Maldita” (1984) e sobra espaço para apresentar um arremedo de “Exterminador do Futuro” (1984), só que russo. Claramente o programa evolui muito neste terceiro ano.

História sem fim

Stranger Things

Vale muito assistir Stranger Things e mergulhar novamente naquele universo colorido dos anos 80. A série é uma prova que aquele período pode ser chamado de tudo, menos década perdida. Não foi uma charrete que perdeu o condutor. Estava mais para uma época que não sabia onde estava indo, mas estava no seu caminho. Que a Netflix se inspire em todas as cores, inovações, produtos culturais e principalmente, na criatividade oitentista, para nos trazer programas tão bons quanto Stranger Things. Que o principal serviço de streaming do mundo cresça cada vez mais nas suas produções. Que hoje, ou em trinta anos, estas possam ser reverenciadas pelos seus fãs, exatamente como fazemos agora, com Strangers Things e, obviamente, todos os anos 80.

Trailers

Elenco, Citações e Referências

  • Joyce Byers – Winona Ryder, Atração Mortal, 1988
  • Jim Hopper – David Harbour Hellboy 2019
  • Eleven, Jane Ives – Millie Bobby Brown, Godzilla vs Kong, 2020
  • Mike Wheeler – Finn Wolfhard, It: A Coisa, 2017
  • Dustin Henderson – Gaten Matarazzo (apresentando)
  • Lucas Sinclair – Caleb McLaughlin, The New Edition Story, 2017
  • Will Byers – Noah Schnapp, Ponte dos Espiões, 2015
  • Maxine “Max” Mayfield – Sadie Sink, Eli, 2019
  • Nancy Wheeler – Natalia Dyer, Yes, God, Yes, 2019
  • Jonathan Byers – Charlie Heaton, Os Novos Mutantes, 2020
  • Steve Harrington – Joe Keery, A Grande Jogada, 2017
  • Billy Hargrove – Dacre Montgomery, Power Rangers, 2017
  • Robin – Maya Hawke, Ladyworld, 2017
  • Erica Sinclair – Priah Ferguson, The Oath, 2018
  • Karen Wheeler – Cara Buono, Hulk, 2003

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui