Sobe para 323 o número de municípios infectados pelo Aedes aegypti

0
708
Mosquito Aedes aegypti, dengue, zika e chikungunya. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

São Marcos faz parte do grupo que tem missão de reverter cenário e se livrar do mosquito transmissor da Dengue. Já são 24 casos confirmados no RS e 196 suspeitos. A população tem papel fundamental no combate ao Aedes

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS), por meio do
Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS/RS) registrou até o último dia 23 de fevereiro, 196 casos suspeitos de Dengue, 24 casos confirmados, sendo
9 autóctones (Panambi, Candido Godoi, Erval Seco, Marau, Santo Antônio das
Missões, Ivoti, Glorinha e São Borja), 100 descartados e 72 ainda continuam
aguardando investigação.

A transmissão da dengue, zika e chikungunya ocorre pela picada da fêmea do Aedes aegypti. Com hábitos diurnos, o mosquito se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. O inseto tem, em média, menos de um centímetro de tamanho, é escuro e com riscos brancos nas patas, na cabeça e no corpo. Para se reproduzir, ele precisa de locais com água parada, que é onde ele deposita os ovos. O verão, com as altas temperaturas e o aumento das chuvas, é propício para a proliferação do inseto. Por isso, o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) reforça que o cuidado para evitar a sua proliferação busca eliminar esses possíveis criadouros, impedindo o nascimento do inseto. Entre as medidas, recomenda-se:

– Tampar caixas d’água, tonéis e latões;
– Guardar garrafas vazias viradas para baixo;
– Guardar pneus sob abrigos;
– Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia;
– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises;
– Manter lixeiras fechadas;
– Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

Campanha do Governo do Estado reforça as medidas preventivas contra o Aedes aegypti

Municípios infestados

A infestação por Aedes aegypti no Rio Grande do Sul passou de 62 municípios em 2010 para 323 atualmente. Isso cobre hoje uma população de mais de 9,7 milhões de pessoas, ou 86% da população do Estado.

São Marcos é considerada infestada pelo Aedes aegypti

Para o desenvolvimento de ações de prevenção e controle do mosquito, todos os 320 municípios com infestação de Aedes foram contemplados com R$ 4.512.567,01 em investimentos do Governo do Estado. Dependendo da população, cada município recebeu entre R$ 4 mil e R$ 204 mil.

Principais sintomas da dengue:

– Febre alta (maior que 38,5°C), de início abrupto e que dura entre 2 e 7 dias;
– Dores musculares intensas;
– Dor ao movimentar os olhos;
– Mal-estar;
– Falta de apetite;
– Dor de cabeça;
– Manchas vermelhas no corpo;
– Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte: Centro Estadual de Vigilância em Saúde

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here