São Marcos é considerada infestada pelo Aedes aegypti

0
2034
Imagem: internet

Município recebeu notificação da Saúde no Estado após análise positiva para novos focos do mosquito

O Estado do Rio Grande do Sul comunicou o município, por meio do Ofício Nº 06/2019 que São Marcos passou à condição de infestado pelo Aedes aegypti.

Após localizarem, no início do mês, dois focos do mosquito, um no bairro Francisco Doncatto e outro no Industrial, a Vigilância Ambiental realizou vistorias em um raio de 300m dos locais onde foram encontrados os focos e análises retornaram positivas para o Aedes. Além das larvas encontradas durante essa vistoria, outros focos foram localizados nas armadilhas localizadas Centro e Henrique Pante.

Por conta dessa nova condição, de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Controle do Aedes aegypty, a abrangência das vistorias da Vigilância Ambiental muda. Segundo a Coordenadora da Vigilância Ambiental em São Marcos, Daiane Alves, a equipe deverá realizar um Levantamento de Índice de Infestação e o tratamento em 100% dos imóveis do município, bem como em Postos Estratégicos (PE’s) bimestralmente.

Os PE’s (cemitérios, ferros velhos, borracharias), em São Marcos, são 22 e seguirão sendo vistoriados quinzenalmente, conforme ocorria de acordo com determinações do Programa Municipal de Controle ao Aedes. Ainda, o atendimento a denúncias de água parada ou de possíveis criadouros do mosquito, feitas pela população, seguirão sendo atendidas normalmente.

Seguindo orientações, devido a troca de condição do município em relação ao Aedes e a mudança de ações, as 37 armadilhas (pneu cortado ao meio cujo intuito é monitorar a presença do mosquito no território) espalhadas estrategicamente pela cidade, foram desativadas.

A nova condição afeta também o quadro de funcionários da Vigilância, que terá que fazer a contratação de profissionais para atender à nova demanda de vistoria. As atividades de vistoria nas residências já iniciaram e serão intensificadas assim que o quadro de agente de endemias do município for reforçado.

São Marcos nunca antes foi considerado um município infestado pelo mosquito e retornará à condição de não infestado somente se ficar por 12 meses consecutivos sem encontrar larvas do mosquito Aedes aegypti. 

A Vigilância Municipal em Saúde reforça o pedido para que os munícipes fiquem atentos aos possíveis locais onde o mosquito possa depositar os ovos e os eliminem. “Sugerimos que, pelo menos uma vez por semana vistoriem as residências, escolas e ambientes de trabalho. Lembramos que a prevenção de uma possível epidemia de Dengue, Zika Vírus e Chikungunya exige empenho de todas as esferas governamentais, mas também de toda a população. A única forma de evitar uma possível epidemia é eliminando os criadouros.”, reforça a Coordenadora Daiane.

Fonte: Vigilância Ambiental

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here