Outra Vida: boa ficção cientifica compensa falta de novidades na Netflix

0
281

Antigamente, as matinés de cinemas, nos domingos, ficavam lotadas para apresentar os lançamentos em filmes. Pouco depois, o final de semana na TV era esperado para que pudéssemos ver filmes “inéditos” na Tela Quente ou Supercine. Já na virada do século, chegava sexta-feira e todos corriam as locadoras para retirar as novidades e assistir no conforto de casa. Hoje, com o streaming, tudo mudou. Temos a oportunidade de assistir milhares de filmes do cinema, na hora que quisermos, sem precisar sair de casa. Se analisarmos bem, tudo mudou, mas nem tanto assim.

O futuro repetindo o passado

A estratégia da Netflix, da Amazon, ou da Globloplay continua sendo a mesma do empoeirado cinema do século passado. Os serviços de streaming lançam suas produções apenas no final de semana. Fora esta novidade, você terá um catálogo imenso de filmes secundários que pouco valem a mensalidade. Há alguns finais de semana, o mega lançamento foi a série de ficção-cientifica “Outra Vida”. Bom que ao menos este inédito compensou a falta de novidades no resto da semana.

Alguém na escuta¿

“Outra Vida” é uma Ficção Científica que mistura filmes como “A Chegada”(2016), Aniquilação (2018) e séries como Night Flyer (2019) já comentados por este blog. No novo programa da Netflix uma nave gigante invade o espaço terrestre. Ao aterrissar cria uma enorme torre de cristal. O objeto passa a enviar sinais para um planeta há anos luz. Sem entender o que desejam os alienígenas, os governos da terra montam uma equipe para embarcar em uma nave e buscar o local para onde está indo o sinal. A ideia é conseguir encontrar os alienígenas, entende-los e preparar nosso planeta para uma visita pacifica ou uma guerra com os visitantes.

Decifra-me ou…

Enquanto a nave viaja numa velocidade superior à da luz, um grupo de cientistas fica na Terra, tentando se comunicar com o artefato alienígena. No nosso planeta, o Dr. Erik Wallace tem de enfrentar todo tipo de problema para realizar descobertas sobre a construção alienígena. Ele comanda a equipe em Terra e precisa transpor a hierarquia militar para desenvolver técnicas de comunicação com os aliens, controlar as informações vazadas para uma digital influencer e entender a física do objeto, para não prejudicar a humanidade.

Motins, Aliens e Exterminadores

Erik é marido da comandante da expedição estelar, Nick Breckenridge, por isto seu esforço para ajudar a resolver o problema com os extraterrestres. No espaço a vida de Nicko não é menos complicada. A comandante precisa enfrentar um motim, a contaminação de um vírus alienígena e até a pane no computador da nave. Tudo para conseguir chegar ao seu destino e propiciar que a vida na terra continue de alguma forma. Por sorte a série tem dez capítulos bem distribuídos que permitem desenvolver bem estas histórias.

LGBT e IA

Não espere de Outra Vida uma série com uma ação intensa ou mesmo efeitos visuais arrasadores. O interessante no programa é seu lado argumentativo. Ele tenta evidenciar tendências para o futuro. Na nave os militares não usam uniformes, por exemplo. Existe uma tripulante que é transexual, plenamente aceita entre os demais e com um importante papel a bordo. O computador local é evoluído para se tornar uma inteligência artificial o que traz soluções, mas também muitos problemas. Enfim o seriado, mais que um thriller de ação é um vislumbre do que virá, nos apontando caminhos, antes de resolver os problemas que são impostos pelo roteiro.

Uma boa tendência

_DSF502320180910-9800-1109h1l.JPG

Por falar em tendências para o futuro, vale lembrar que os serviços de streaming também já foram uma promessa. Espero que os executivos da Netflix assistam séries como Outra Vida e meditem sobre elas. Que eles pensem no que a humanidade esperava do entretenimento, há cinquenta anos, e o que eles estão entregando. Esperamos que aquela imensa biblioteca de vídeos se reinvente com mais produtos de qualidade, na quantidade que merecemos. O público certamente quer mais pelo que está pagando e não tem a mesma paciência e disposição dos astronautas de Outra Vida, que precisaram atravessar o espaço por vários meses para conseguir informação (e entretenimento) da forma que queriam.

Trailers

Elenco, Citações e Referências

  • Niko Breckinridge – Katee Sackhoff, Battlestar Galactica, 2004 – 2010
  • Harper Glass – Selma Blair, Hellboy, 2004
  • Ian Yerxa – Tyler Hoechlin, Estrada Para Perdição, 2002
  • Erik Wallace – Justin Chatwin, O Invisível, 2007
  • William – Samuel Anderson, Fazendo História, 2006
  • Cas Isakovic – Elizabeth Faith Ludlow, Godzilla II: Rei dos Monstros, 2019
  • August – Blu Hunt, Os Novos Mutantes, 2020
  • Sasha Harrison – Jake Abel, A Hospedeira, 2013
  • Michelle Vargas – Jessica Camacho, Pense como Eles, 2012

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui