Meio Ambiente rebate denúncia de despejo de dejetos no Rio Ranchinho

0
945
Imagem da bacia de captação do Rio Ranchinho. Fonte: Google

Cidadão reclama de lodo com fezes e urina de animais que, conforme ele, vão para o rio. Meio Ambiente desconhece situação e destaca ações de monitoramento na bacia de captação

No último sábado, dia 15, um leitor do São Marcos Online enviou mensagem apontando despejo de dejetos de animais às margens do Rio Ranchinho, próximo à ponte entre São Marcos e Criúva. No local está localizado recalque de captação de água para a barragem que abastece São Marcos.

“Me chamou a atenção um fato que acredito que cabe a vocês, como imprensa, buscar informações. Existe um lodo de fezes misturado a urina que desemboca no Rio Ranchinho. Sentido São Marcos – Criúva existe uma fazenda relativamente grande com criação de gado”, informa o leitor.

Apesar de não evidenciar os fatos, mas preocupado com a qualidade da água, ele informa que os dejetos caem diretamente no rio.

“Ou seja, nossa secretaria de ambiente só complica com quer complicar. Observem se não é um descaso. O Meio Ambiente diz não poder fazer nada por pertencer à Caxias do Sul, mas e o rio, e a água que bebemos, como fica?” indaga o cidadão.

Audiência Pública no próximo mês ira abordar os 4 eixos do Plano Municipal de Saneamento

O São Marcos Online fez contato com o Secretário do Meio Ambiente, que informou desconhecer o caso. Fabiano Varela ainda destaca ações de monitoramento e descarta possibilidade de contaminação da água.

“Não tinha esta informação de dejetos de animais correndo direto para dentro do arroio, pelo meu conhecimento não tem nenhum confinamento ou criação intensiva de animais naquela área”, diz o secretário.

Conforme ele, a companhia responsável pelo abastecimento de água (Corsan) tem um controle rígido sobre qualidade da água, descartando a possibilidade de contaminação.

“Sobre a questão da bacia de captação do Ranchinho, o tema foi levantado durante as reuniões de revisão do Plano Municipal de Saneamento, como algumas necessidades para garantir maior segurança ao manancial. Como colocação de placas de indicação, fiscalização da utilização do solo na região de captação”, informa Fabiano.

No próximo dia 4 de julho, às 18h30, haverá Audiência Pública sobre os prognósticos dos quatro eixos do plano: abastecimento de água, resíduos sólidos, drenagem e esgotamento sanitário.

Fabiano informa ainda que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com a UCS – Universidade de Caxias do Sul, viabilizam pesquisa que analisa o uso de agrotóxicos na agricultura familiar e os impactos para o agricultor e no meio ambiente.

“Essa pesquisa também fará coleta de água nas bacias de captação para analisar os níveis de agrotóxicos na água”, explica.

De qualquer maneira, o secretário de meio ambiente informa que irá visitar o local em busca de evidências que comprovem a denúncia.

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui