Major pede audiência pública para tratar da segurança em São Marcos

0
786
Major Juliano destaca carências e ações da BM no município. Foto: Raiane Martininghi Pelissari

Sub-comandante do 36º BPM fez uso da Tribuna Popular, cobrou medidas do poder público e destacou policiamento comunitário. Auxílio moradia, câmeras de monitoramento e Proerd são alguns temas pautados pelo Major Juliano na Câmara de Vereadores

NA noite desta segunda-feira, dia 15 de julho, o Major Juliano Amaral, sub-comandante do 36º BPM (Batalhão de Polícia Militar), com sede em Farroupilha e que atende sete cidades da Serra, incluindo São Marcos, esteve na Câmara Municipal de Vereadores aonde fez uso da Tribuna Popular por cerca de 10 minutos.

Na manhã desta terça, ele falou ao São Marcos Online, reforçando as principais pautas abordadas no encontro com o parlamentares.

O major da BM destacou as ações e operações realizadas nos últimos dias visando o combate ao tráfico de drogas no município, que resultaram em algumas prisões. Enfatizou que o comando está bastante proativo, mas que precisa ser feito melhoramento dos serviços prestado. Para isso, o sub-comandantes do Batalhão diz ser preciso focar no policiamento comunitário, gerando integração e aproximação da polícia militar com a população. Ele pediu aos vereadores para que seja realizada audiência publica para tratar diretamente com o cidadão.

Falta de incentivo preocupa e promove baixas no efetivo local

Comando pediu audiência pública para tratar dos tema. Foto: Raiane Martininghi Pelissari

Outro assunto de muita importância, conforme o major, é a questão do auxílio moradia, que os policias de São Marcos Recebiam e há algum tempo não é mais repassado pelo poder público como forma de incentivo à permanência de efetivo na cidade.

O major diz que o elevado custo de vida na região agrava a manutenção de policiamento, mediante falta de incentivo.

“É uma questão imprescindível para nós, para que consigamos atrair bons policias com perfil adequado para atuar na comunidade, hoje com a falta do auxílio acabamos perdendo efetivo, perdemos três policias esse ano e outros três já pediram transferência”, esclarece Juliano.

Ele destaca que no estado a falta de efetivo é de 50%, mas que em São Marcos a situação se agrava mediante os fatos. “Não temos muitas formas de atrair brigadianos para São Marcos, então, se perdermos os que temos poderá demorar muito para repôr, portanto o prejuízo na manutenção dos serviços é muito grande”, argumenta o major.

Ele aponta ainda, que a troca de policias veteranos, que já conhecem o cotidiano local, por novos PM’s, também prejudica a boa atuação da Brigada na cidade.

Proerd também é prejudicado com a falta de efetivo

O major Juliano também aponta a falta de continuidade do Programa Educacional de Resistência às Drogas, que é desempenhado com alunos do ensino médio e que ficou sem ser executado em São Marcos por algum tempo. Neste semestre o curso será aplicado, porém com ajuda de policial vindo de Flores da Cunha.

“Estamos abrindo mão de um policial e uma viatura de outra cidade para suprir a necessidade de São Marcos”, evidencia.

O major finaliza a entrevista dizendo que a BM em São Marcos veio retrocedendo nos últimos anos, com a retirada das câmeras de vigilância, corte no repasse do auxílio e falta de manutenção do Proerde, além das baixas por transferência.

“Acredito que temos que avançar no tempo e fazer coisas que sejam proativas, que sejam fundamental na prevenção, estamos resgatando estas questões, estamos mais presentes e neste momento estamos também pedindo o auxílio do poder público e da população para da sequência nas ações da Brigada Militar, cada vez com maior eficiência”, salienta o sub-comandante do 36º BPM.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here