Homem Aranha – Longe de Casa

0
557

Novo filme da Marvel é uma Cena Pós Crédito gigante

Existe um elemento muito valorizado no cinema atual: a Cena Pós Crédito. Trata-se daquela pequena tomada, que não leva um minuto, aparece depois dos letreiros finais, e traz uma última informação sobre o que vimos. Normalmente a CPC fornece a ideia do que será a continuação da obra. Não por acaso, a Marvel Estúdios é quem melhor tem utilizado este artifício. Isto pois ele se parece com os epílogos das Histórias em Quadrinhos. Estes nos deixavam sempre com um gosto de quero mais ao final do gibi. A frase “Veja na próxima edição”, praticamente obrigava os fãs a comprarem a revistinha do mês seguinte.

Nos próximos capítulos…

Foi com as Cenas Pós Créditos que descobrimos que o filme do Homem de Ferro (2008) era o primeiro da Iniciativa “Vingadores” (2012). Foi uma CPC desse último que nos apresentou o gigante roxo, Thanos. Enfim, graças a ceninha, passamos a ficar vários minutos assistindo subir a função de cada um na obra e descobrimos quanta gente trabalha para criar um sucesso. Pois a maior bilheteria da Marvel, “Vingadores – Ultimato” (2019), não tem cena pós-créditos. Nem precisa. A obra tem todo um filme pós crédito. Estou falando do divertido “Homem-Aranha – Longe de Casa”, que se presta a explicar várias situações sobre os acontecimentos do recordista de bilheteria da produtora e encerra a Fase 3 do estúdio.

SPOILERZAÇO ABAIXO

Na nova aventura do cabeça de teia, vimos o que aconteceu após os dois últimos filmes dos Vingadores. No primeiro destes, Guerra Infinita, metade dos seres vivos do universo foram exterminados para voltarem a vida cinco anos mais tarde, em Ultimato. Além do choque da população, com a morte de vários heróis, o filme do Aranha mostra como fica a organização do planeta após estes acontecimentos catastróficos. O mundo dos Vingadores teve milhões de pessoas que simplesmente foram reinseridas na realidade, após terem sumido por anos. Entre os “blipados”, termo utilizado para os desaparecidos, estava Peter Parker, o Homem-Aranha. Praticamente toda sua turma de escola também morreu e voltou do estalo de Thanos. Após o incidente, o herói juvenil tem a oportunidade de relaxar, numa viagem com os colegas para a Europa. Nesta excursão escolar, pretende descansar a cabeça e tentar conquistar sua amada, Mary Jane.

Elementais meu caro Peter

Chegando no velho continente, Peter se vê recrutado por Nick Fury, que estava atrás dele fazia semanas. O Diretor da Shield impõe que o Homem Aranha ajude um exilado de outra dimensão, Quentin Beck, o Mystério, a enfrentar seres elementais compostos de terra, água, ar e fogo que estão atacando a Europa. O aracnídeo precisa fazer isto provando que tem responsabilidade suficiente para ser um super-herói. Mais que isto, não poderá deixar que descubram sua identidade e precisará arrumar tempo para Mary Jane. Ah, em meio a tudo será importante descobrir até onde vai sua parceria com Mystério e se ele pode realmente ajudá-lo a enfrentar a ameaça dos elementais.

Teia de inclusão

“Homem Aranha – Longe de Casa” é um filme divertido, mas muito mais leve que as últimas obras da Marvel. Como seu antecessor, “Homem-Aranha – De volta ao Lar” (2017), é um filme sobre meninada, com piadas e brincadeiras sobre o que é ser um super-herói adolescente. A história é um alívio cômico, após todo a dor e sofrimento de Vingadores Ultimato.

Independente disto, a fita tem ainda seus momentos de seriedade e inclusão que valem pelo que representarão para os jovens espectadores. É muito legal ver se formar o casal inter-racial Peter Parker e Mary Jane ou o inesperado namoro entre a lourinha perfeita da turma e o gordinho havaiano.

Além da Imaginação

Com piadas divertidas, romances legais e bons efeitos visuais (como sempre), talvez o único pecado do longa aconteça porque a Marvel ultrapassa, e muito, a barreira do impossível. No primeiro filme do UCM, Homem de Ferro (2008), o esforço era para trazer o super-herói o mais próximo possível da realidade. Era necessário fazer que as pessoas acreditassem que aquela tecnologia poderia existir. Em Homem-Aranha se abandona totalmente isto. Vale apresentar universos paralelos, mentiras absurdas, hologramas além do imaginável e complôs surreais. Parece que depois de matar metade da população tudo pode ser colocado em um roteiro. Menos mal que as invencionices são bem-feitas e razoavelmente explicadas, embora não tenham lógica nenhuma.

Tem pós-crédito¿

Homem Aranha – Longe de Casa, mais que um filme legal, é o suprassumo das cenas pós créditos. Explica o que tínhamos dúvida, nos faz rir e prepara para o futuro que virá. É uma obra que faz a gente respirar e continuar no universo Marvel, ansioso pelo próximo capítulo. Por falar nisto, vale a pena ficar até as Cenas Pós Crédito deste filme também. Elas são a legitima explicação do epílogo. Apontam a chegada do universo Fox na Marvel (tem de ser rápido para encontrar), explicam porque alguns personagens estão descaracterizados e principalmente mostram o caminho que seguirão os próximos filmes. Portanto, não levante da poltrona quando o letreiro subir. As cenas pós créditos podem parecer inexpressivas, mas como o filme do Homem-Aranha, muito do que temos curiosidade de descobrir está escondido por ali.

Trailers:

Elenco, citações e referências:

  • Peter Parker / Homem-Aranha – Tom Holland, O Impossível, 2012
  • Quentin Beck / Mysterio – Jake Gyllenhaal, Donnie Darko, 2001
  • Nick Fury – Samuel L. Jackson, Shaft, 2000
  • Michelle “MJ” Jones – Zendaya, O Rei do Show, 2017
  • Ned Leeds – Jacob Batalon, Todo Dia, 2018
  • Happy Hogan – Jon Favreau, O Rei Leão, 2019
  • Tia May Parker – Marisa Tomei, Only You, 1994

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui