Eleições 2020: Coligação de Kuwer define pré-candidato a vice em 12 de março

0
1453
Em reunião, Bruno Fachini (MDB), Manoel dos Santos (PSDB), Antônio Luiz Brochetto (PDT) e José Airton Muller (PSB) apresentaram nomes para vice. Encontro também definiu Fachini como porta-voz da coligação: 'Reforçou aliança por kuwer e por São Marcos'. Foto: divulgação

MDB, PSDB, PSB e PDT têm opções, mas definição será tomada de forma ‘conjunta e democrática’. Oposição ainda não tem candidatos e não sabe se haverá junção entre PP e PTB, que está ‘aberto à coligações’

Mesmo que ainda faltem mais de sete meses para as eleições municipais – e que atual gestão esteja mais focada ‘nos asfaltamentos do Interior e demais ações’ que no pleito de outubro -, especulações em torno de quem será o candidato a vice do prefeito Evandro Kuwer (MDB) foram lançadas nesta quinta (20) em São Marcos.

Diante dos rumores, o São Marcos Online ouviu representantes dos principais partidos para informar o cenário pré-eleitoral. Pelo que apurou a reportagem, o clima é de indefinição.

A única certeza é que Kuwer é pré-candidato à reeleição e que seu vice será definido de forma “conjunta e democrática” pelos partidos da base aliada: MDB, PSDB, PDT e PSB.

Os presidentes das siglas se reuniram na noite desta quinta (20) e confirmaram que a oficialização do pré-candidato a vice acontecerá em 12 de março, conforme destacado pelo presidente municipal do MDB e porta-voz da coligação, Bruno Fachini, em nota divulgada à mídia na manhã desta sexta.

“Não cabe aos presidentes dos partidos definir quem será o pré-candidato, pois se trata de decisão de cada diretório apresentar os nomes, que serão levados a uma reunião agendada para 12 de março”, revelou, ressaltando que dessa forma o processo democrático será respeitado.

Bruno salienta que o nome escolhido precisará ter o aval do prefeito Kuwer e que a coligação está aberta ao ingresso de mais partidos dispostos a trabalhar pelo desenvolvimento de São Marcos.

“O importante é nos unirmos em prol do município. Nossa administração está fazendo um trabalho diferenciado, São Marcos vive um momento histórico e cada vez mais são-marquenses estão reconhecendo os esforços e comprometimento da equipe do prefeito Kuwer. Muitos avanços estão acontecendo na infraestrutura, educação, saúde, segurança e outras áreas e o mais importante é assegurar a continuidade desse trabalho”, apontou.

Segundo a nota, os partidos governistas apresentam os seguintes nomes como possíveis pré-candidatos a vice de Kuwer: MDB: vereadora Patrícia Camassola Tomé; PSDB: atual vice Rosa Fontana; PSB: secretário Vinicius Pedroso; PDT: empresário Valmor Scopel (Marronzinho).

Pelo que apurou o São Marcos Online, Scopel seria o mais cotado.

“O tempo é de trabalhar por São Marcos e divulgar as conquistas do município. Nas ruas o assunto é asfalto e não eleições. Estamos focados no trabalho”, reforça o presidente do MDB, destacando que a reunião desta quinta serviu para reforçar a unidade da base governista em torno de Kuwer.

Indefinição na Oposição: ‘Vamos ver quem o PP apresenta para compor a majoritária’

Se na situação o cenário está praticamente definido, entre os partidos oposicionistas há indefinição: PP e PTB ainda não têm candidatos e não sabem se concorrerão coligados.

“Se o candidato não for o Casarotto, vamos ver quem o PP apresenta para compor a majoritária”, ressalva o presidente do PTB, Luiz Carlos Susin.

Ele estava na praia e disse que traria do assunto a partir de 2 de março.

Susin salientou que se não houver consenso com o PP, o PTB pode lançar candidato próprio. Destacou que o PTB também está aberto à outras coligações.

“Em novembro fizemos várias reuniões e foi definido que ficou mantida a coligação com o PP e nós entraríamos com o vice. Nas reuniões o PTB sugeriu que o candidato fosse o Casarotto e estamos no aguardo do PP se decidir quanto a isso”, comentou

Conforme o presidente do PP, Genilson Marcon, os dois partidos estão em tratativas para manter a coligação e buscariam uma aproximação com o PSL.

Ele disse que existem três possibilidades. Uma é os ex-prefeitos Adair Casarotto e Demétrio Lazzaretti encabeçarem a chapa, como candidatos a prefeito ou mesmo juntos como prefeito e vice. A segunda alternativa seria um dos atuais vereadores pepistas concorrerem. E a terceira opção seria o partido apresentar uma novidade, “alguém que nunca concorreu e que teria expressão no município”, conforme palavras de Marcon.

“Não temos nomes definidos e estamos analisando as possibilidades”, comentou, dizendo que até mesmo o nome do candidato derrotado em 2016, Geraldo Sandri, não está descartado.

Conforme o calendário eleitoral, o prazo para registro de candidaturas termina em 15 de agosto. O período para novos partidos e filiações vai até 4 de abril. As convenções partidárias acontecem entre 20 de julho e 5 de agosto. A campanha inicia em 16 de agosto e a homologação das candidaturas encerra em 14 de setembro. O pleito é em 4 de outubro. São Marcos terá votação através da biometria. Na última eleição o município tinha pouco mais de 15 mil eleitores.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here