DIZER “NÃO” É SINÔNIMO DE AUTO RESPEITO

0
211

Todo ser humano tem duas necessidades universais básicas: de se afirmar (colocar suas necessidades em vista) e de ser aceito

“Não”. Uma palavra tão curta e ao mesmo tempo tão difícil de dizer, não é mesmo? E o mais engraçado: quando éramos crianças essa palavrinha saía com uma facilidade das nossas bocas… Depois que crescemos, vamos usando ela cada vez menos, deixando ela trancada em um canto escuro do nossa vida como se ela não fosse importante. Evitamos ir contra as outras pessoas, achamos que seremos ruins se negarmos um pedido, temos medo de um julgamento ou interpretação negativa… enquanto isso vamos anulamos nossas necessidades.

Todo ser humano tem duas necessidades universais básicas: de se afirmar (colocar suas necessidades em vista) e de ser aceito. Porque será que com frequência priorizamos uma e deixamos a outra esquecida? O problema é que evitarmos a todo custo dizer “não” aos outros nos custa muito: custa nossa autoestima, nosso bom humor, nossa motivação, nosso auto respeito.

Vim aqui te contar um segredo: em uma relação, existir conflito não é um problema. O problema existe quando o conflito não é resolvido. Muitas pessoas acham que engolindo um “não” conseguirão resolver todos os problemas e evitar todos os conflitos. E é aí que existe um grande engano. Quando você evita dizer o que realmente pensa e evita se posicionar com medo de prejudicar seu relacionamento com outra pessoa ou ser mal interpretado/julgado, o que você faz é se minar com problemas emocionais e frustrações internas. Você acha que foi uma boa escolha?

Ok. Não é porque você precisa se afirmar que precisa ser grosseiro ou rude com as outras pessoas. Lembre-se: você ainda tem o outro lado da moeda: a necessidade de aceitação. Por isso, selecionei algumas dicas para te ajudar a dizer o que realmente pensa com tato e eficácia. Acompanhe:

  • Você não precisa responder a um pedido de outra pessoa na hora em que ele foi feito. Tem uma frase que eu gosto muito: “não se faz uma planta crescer puxando as folhas”, e com você é a mesma ideia. Negue à urgência de dar uma resposta imediata. Tire seu tempo, reflita sobre a situação e apenas depois, quando estiver tranquilo com a decisão, dê a resposta.
  • Saiba que é seu direito não responder a uma pergunta feita. Você não precisa necessariamente deixar a outra pessoa no silêncio, mas se permita dizer que não quer conversar sobre o assunto.
  • Quando for negar um pedido, não dê falsas desculpas e não tente enrolar a outra pessoa – seja sincero e direto. Existem apenas duas justificativas que não abrem espaço para que a outra pessoa ache uma “saída” ao “não” recebido, que são: “não preciso disso” e “não quero”.
  • Quando você promete ou aceita algo sob pressão, sem avaliar a situação inteira, tem mais chances de se arrepender. Se isso acontecer, saiba que é seu direito mudar de opinião.
  • Seja confiável em sua opinião. Cuide para que a mensagem que você passa por meio da comunicação verbal (palavras) seja a mesma da comunicação não verbal (gestos, tom de voz, postura, olhar).
  • Seja claro quando for expressar o que você pensa e não faça muitas voltas para explicar o que você pensa ou para pedir o que você precisa. Não espere que o outro “colha verde” o que você “jogou maduro”.
  • Cuide com as palavras que você escolhe para que o outro consiga entender exatamente o que você quer falar.

Seguindo essas dicas no seu dia-a-dia, a tendência é que você consiga começar a se respeitar mais e a também exigir mais respeito dos outros. Bom treino!

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui