Crítica – Dr. Sono

0
88

Ótima continuação de “O Iluminado” transforma terror em aventura

É interessante quando uma história, livro ou filme consegue dar uma volta completa em sua trama e se tornar algo completamente diferente. Stephen King, maior escritor de terror da atualidade conseguiu fazer isto, com seu livro “Dr. Sono”, que agora chega aos cinemas. A trama continua a história de “O Iluminado” de 1980, que é considerado uma das melhores obras de terror/suspense já escritas e filmadas. Dr. Sono continua a história, mas o novo filme apenas raspa no horror, trazendo um enredo muito mais próximo da fantasia, ficção e aventura.

Iluminando Carreiras

O Iluminado, de 1980, foi uma das produções cinematográficas que ajudou a consolidar a carreira de Jack Nicholson (Sem Destino, 1969) no mundo audiovisual. É deste filme a famosa imagem de Nicholson enlouquecido, com a cabeça em um buraco, de uma porta estraçalhada. A fita foi dirigida por Stanley Kubrick (Laranja Mecânica, 1971) e nos apresenta a família de Jack Torrance, composta por Nicholson, sua esposa, e o filho pequeno, Dan. Jack é um alcoólatra em tratamento. Pela sua condição ele é obrigado a aceitar o emprego de caseiro no afastado Hotel Overlook, nas montanhas do Colorado.

Luz na Escuridão

Durante o Iluminado os espectadores descobrem que o pequeno Dan Torrance é na verdade um paranormal. A presença do garoto no Hotel faz com que várias forças malignas imperceptíveis, que ali se encontram há muito tempo, passem a caçar o menino, em busca de sua “luz”, e a perturbar sua família. Não demora para estes seres incorporarem no próprio pai de Dan que persegue o garoto e a mãe com um machado. O clímax do filme é a tentativa de fuga dos dois do Hotel e do próprio pai ensandecido.

Hora de acordar

Dr. Sono retoma a história de Iluminado, pouco tempo após o final do primeiro filme. Na continuação Dan aprende como aprisionar os espíritos que o perseguiram no Hotel Overlook. Após um salto temporal de vários anos descobrimos que o controle de seus poderes não impediu que Dan tivesse o mesmo destino do pai. Já adulto ele se afundou em álcool e drogas, muito por reflexo do que viveu em Overlook. Quando chega ao fundo do poço, Dan consegue fugir para uma pequena cidade do interior. Lá é acolhido por um grupo de alcoólicos anónimos e parece ter encontrado paz.

Os nós da vida

No entanto, chegando aos dias atuais, Dan percebe a existência de outra paranormal superpoderosa, a garota Abra. Esta consegue se comunicar através da mente com Dan, mesmo estando a cidades de distância. Logo Abra descobre que existe um outro grupo de paranormais intitulado o Verdadeiro Nó. Contaminados pelo mal, estes caçam pessoas iluminadas para sugar seus poderes e assim perpetuar suas vidas. Após assassinarem várias crianças, o Nó percebe a existência de um brilho muito forte vindo de Abra e parte para caçar a garota. Desesperada, a menina pede ajuda a Dan, que resolve levá-la para combater o Nó na pior arena que poderia imaginar: O Hotel Overlook. Dan acredita que se foi tão difícil para ele escapar daquele local, também será difícil para os membros do Nó sobreviverem a ele. A sorte está lançada.

Continuação das boas

Ao assistir Dr. Sono é bom ter consciência que é uma sequência, portanto não possui o mesmo peso da obra original, de 1980. No entanto a nova história é extremamente divertida e bem construída nesta postura de ser um filme mais de aventura, que uma obra de terror. A luta de Dan e Abra, contra os membros do Nó, parece muito com uma história de paranormalidade vista em filmes de super-heróis, como X-Men, por exemplo. O interessante é que está visão é apresentada sem abrir mão de nenhuma informação do filme de anterior.  Na verdade, as referências ao original estão por toda a parte, desde a abertura que repete a sequência da fita de 1980. Os detalhes do hotel parecem exatamente os mesmos. É feita ainda uma tentativa de emular o Jack do passado. Este agora aparece como fantasma, vivido por um ator mais jovem (e certamente mais barato) que Jack Nicholson.

Stephen King tem a força

Outra situação interessante é o intérprete escolhido para ser o Dan nesta nova versão. Não é por acaso que Evan Macgregor, o Obi Wan Kenobi, da primeira parte de Star Wars, foi selecionado para ser o garoto na sua fase adulta. Com um dos mais poderosos Jedi da força, representando o Iluminado, fica mais fácil dos novos espectadores se aclimatarem e entenderem que aquele homem/garoto tem poderes especiais. A jornada do personagem também é parecida com a do Jedi. Sua função no longa é tentar ensinar a menina superpoderosa a extensão de seus poderes, num caminho de puro aprendizado paranormal. Ao final é um filme que traz uma mensagem de superação, do menino e do alcóolatra que aprendem a estabelecer seus limites e de uma garota que está começando a entender que existem barreiras que ela não deve romper.

No tempo certo

Muitas vezes reclamamos com a demora para serem feitas continuações de filmes que gostamos. Mas se for para as sequências ficarem boas, como Dr. Sono, é bom deixá-las por bastante tempo no forno. O filme tem um toque de terror, mas consegue te envolver com lembranças do original, com uma ótima atuação, uma grande aventura e um bom roteiro. Que outros filmes consigam dar a volta em seu enredo se transformando em algo completamente novo e atraindo mais espectadores aos cinemas. Com boas produções certamente quem dará a volta seremos nós. Faremos questão de voltar as salas de projeções para levarmos bons sustos ou quem sabe, inesperadamente, torcermos pela vitória de protagonistas iluminados.  

Trailers

Elenco, Citações e Referências

Dan Torrance – Ewan McGregor, Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma, 1999

Rose de Chapéu – Rebecca Ferguson, O Rei do Show, 2017

Abra Stone – Kyliegh Curran, I Can I Will I Did, 2017

Billy Freeman – Cliff Curtis,  Megatubarão, 2018

Pai Corvo – Zahn McClarnon, Braven, 2018

Andi Beijo de Serpente- Emily Alyn Lind,  The Babysitter, 2017

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui