Biografia da poeta Vivita Cartier será lançada em São Marcos neste final de semana

0
291
Reprodução da foto que ilustra a capa livro. Divulgação.

Sessão de autógrafos do livro de 812 páginas, com palestra do escritor Marcos Fernando Kirst será neste dia 18 de maio, às 10h, no Auditório Municipal. A obra é lançada 100 anos após a morte da poeta, que está enterrada em Criúva

Após oito anos entre pesquisa e redação, o jornalista e escritor Marcos Fernando Kirst lançou oficialmente no dia 23 de março seu 23º livro: “O Ocaso da Colombina: A Breve e Poética Vida de Vivita Cartier”. O autor integra a Academia Caxiense de Letras, na qual ocupa a cadeira 11, cuja patrona é a poeta Vivita Cartier.

A biografia vem a público, não por acaso, no mês alusivo ao centenário de morte da poeta, nascida em 12 de abril de 1893, em Porto Alegre, e falecida no dia 21 de março de 1919, em Criúva, na Serra Gaúcha, acometida pela tuberculose, conhecida na época como “O Mal do Século”. O evento aconteceu na Galeria Municipal de Arte (junto à Casa da Cultura de Caxias do Sul).

No dia 29 de abril, o autor lançou o livro no distrito de Criúva, aonde Vivita Cartier viveu e está sepultada no Cemitério do Pontão. Neste sábado, a convite do Portal de Notícias São Marcos Online, Fernando traz o lançamento da obra para São Marcos. O ato terá
espaço no Auditório Público Municipal, às 10h. Haverá breve palestra com o autor e após sessão de autógrafos. O evento é aberto ao público.


Vivita com veste remetendo a imigração: lenço na cabeça e echarpe florida portando uma esporta Foto: Acervo de Mário Gardelin e Cleodes Piazza

O livro de 812 páginas conta com participação especial do escritor José Clemente Pozenato, autor do premiado “O Quatrilho”, que traduziu poemas de Vivita do italiano ao português e responde por um ensaio avaliando as nuances e influências literárias da obra poética. O livro agrega pela primeira vez a totalidade dos poemas que se tem conhecimento de Vivita Cartier, boa parte desconhecida do público, já que com a morte prematura, aos 25 anos, a poeta não publicou livros. A obra conta, ainda, com diferenciais como cartas trocadas pela jovem com familiares no auge da doença, quando acreditava que os ares da Serra seriam curativos; desvenda seu amor secreto e traz um mapa astral esmiuçando traços de personalidade da personagem biografada, pela famosa astróloga brasileira Cláudia Lisboa, descendente do ramo familiar da poeta. O elegante projeto gráfico da obra tem assinatura do premiado designer gráfico Ernani Carraro.

O livro “O Ocaso da Colombina” não é apenas uma biografia. Ele perpassa contextos históricos, fatos curiosos e formas de vida de uma família tradicional da época, com grande influência cultural no Rio Grande do Sul e no Brasil. Vivita Cartier era neta de Rodolfo Félix Laner, um dos pioneiros colonizadores de Caxias do Sul, investindo em comércio e contribuindo na fixação de imigrantes italianos na nova colônia.

A obra foi viabilizada por meio de apoio cultural da Indústria de Móveis Florense e da Calíope Comunicação, Marketing e Publicações. O evento de lançamento em São Marcos conta com a parceria do Portal de Notícias São Marcos Online e da Prefeitura de São Marcos.
Preço do livro: R$ 50 (valor promocional de lançamento). Depois, nas livrarias a R$ 80. Evento aberto ao público.

SOBRE A BIOGRAFADA:


Vivita Cartier retratada pelo famoso fotografo Julio Calegari

Vivita Cartier (1893 – 1919) foi uma poeta nascida em Porto Alegre e que morreu no interior da Serra Gaúcha, em Criúva (hoje distrito de Caxias do Sul), local escolhido devido ao clima para tentar combater a tuberculose que, ao fim, encerrou-lhe prematuramente o existir. A despeito de ter publicado em vida poucos poemas na imprensa serrana e na Capital gaúcha, o vigor de sua obra e o mito florescido em torno de seu nome colaboram para manter viva a sua memória com o passar das décadas, gerando o florescer de um mito, a ponto de a escritora ser patrona de cadeiras em duas academias literárias no Rio Grande do Sul e nominar o prêmio literário anual de Caxias do Sul. Vivita foi uma mulher à frente de seu tempo, inserida ativamente no cenário artístico/cultural que a cercava, oriunda de uma família composta por pessoas igualmente carismáticas e proativas, que faziam a diferença e deixavam marcas no entorno em que transitavam. Teve atuação destacada na recuperação e transformação do Carnaval em Porto Alegre nas primeiras décadas do século XX e dedicou-se com afinco, foco e talento à criação de uma “persona” artística com pretensões literárias definidas. Em Criúva, era conhecida como “A Noiva do Sol”, por trajar sempre vestes brancas, configurando um personagem que atiçava a imaginação dos contemporâneos, ao cavalgar seu cavalo zaino batizado “Bergerac” e costurar de volta aos galhos das árvores as folhas secas caídas no outono, como uma espécie de metáfora do esforço pungente de prolongar a continuidade da vida, essa mesma força vital que via esvair-se de si com o avançar da doença. Faltava, no entanto, no cenário da literatura gaúcha e brasileira, uma obra que fizesse jus aos detalhes de sua curta e instigante vida, representativa de toda uma época, suas gentes, seu modo de vida. É com esse propósito que esta biografia se apresenta, preenchendo uma lacuna histórica e fornecendo aos leitores e à Memória os dados biográficos desta persona que já é um ícone das letras rio-grandenses e brasileiras.

Sobre o autor:


O autor autografando o livro, quando do lançamento em Porto Alegre, dia 13 de abril, na sede da Academia Literária Feminina do RS

Marcos Fernando Kirst é jornalista e escritor, natural de Ijuí (RS) e radicado em Caxias do Sul, onde assina uma coluna semanal de crônicas no jornal regional “Pioneiro”. Integra a Academia Caxiense de Letras, na qual ocupa a cadeira 11, cuja patrona é a poeta Vivita Cartier. Dedica-se à produção de livros de resgate historiográfico e também à literatura ficcional, com mais de 20 obras publicadas nesses gêneros, entre romances, poesia, infanto-juvenil, biografias e historiografia institucional. Em 2014, venceu em Porto Alegre o Prêmio Açorianos de Literatura – Narrativa Longa, com o romance “A Sombra de Clara”, que também conquistou o Prêmio Vivita Cartier para Obra Literária em Caxias do Sul, em 2016. Em 2011, venceu o Concurso Anual Literário de Caxias do Sul com a obra poética “Em Silêncios”. A biografia de Vivita Cartier será seu 23º livro, que demandou sete anos de pesquisa e um de redação de textos.

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui