Após aumento no movimento, mercados criam estratégias para evitar aglomerações

0
2734
Supermercados registraram movimento intenso nesta quinta-feira - Foto: São Marcos Online

Confira movimentação em São Marcos. Conforme presidente da AGAS é hora de manter a calma pois não há motivo para pânico, os mercados não ficarão desabastecidos

Após o aumento do movimento nos supermercados de São Marcos nos últimos dias, alguns lojistas decidiram criar estratégias de atendimento para atender os clientes. Empresários destacam que não há necessidade para se apavorar, pois o abastecimento está garantido.

Na manhã desta sexta-feira (20) o São Marcos Online entrou em contato com alguns supermercados para saber que medidas estão sendo adotadas na prevenção ao Coronavírus.

No Super Marco o atendimento ocorreu de portas abertas na tarde de ontem mas em função do grande número de pessoas no interior do estabelecimento, hoje serão adotadas algumas mudanças. O mercado iniciou o dia de portas abertas, porém, conforme o fluxo de pessoas for aumentando as portas serão fechadas e o número de clientes será limitado. O número de funcionários também foi reduzido e os que estão trabalhando fazem uso de máscaras e luvas.

O mercado segue as orientações da vigilância e intensificou a higienização de carrinhos, cestinhos e outros itens de manuseio.

Na Cooperativa o fluxo de pessoas era restrito desde esta quinta-feira, o número de cliente no interior do estabelecimento é limitado. Funcionários são orientados a usar máscaras e luvas e manter a higienização de mãos o maior número de vezes possível. A higienização do estabelecimento se dá a cada saída e entrada de cliente. O mercado também espalhou cartazes pelo estabelecimento com orientações e dicas de prevenção, além de disponibilizar itens de açougue e padaria pré embalados, fazendo com que o sistema funcione em uma espécie de auto atendimento e evitando ao máximo o contato entre as pessoas. Outra orientação é para que os clientes mantenham distância entre si, só toquem nos itens que forem levar para casa e se possível levem luvas.

O estabelecimento informou ainda que está com álcool gel comprado e aguarda a entrega, o número de frascos será limitado por cliente, porém não é necessário aglomeração, o abastecimento dos demais itens está garantido.

Em contato com a gerência local do supermercado Dia o jornal foi informado que o movimento pela manhã é tranquilo, sem grande aglomeração, porém a partir das 16h, quando o fluxo costuma se intensificar o acesso é limitado a 15 clientes no máximo. O número de funcionários também foi reduzido em cerca de 50%. A gerente acrescenta ainda que a higienização foi intensificada em carrinhos, cestinhos, gôndolas, banheiros e outros objetos de manuseio. Ela destaca ainda que não há desabastecimento de mercadorias, o que acontece é uma demora um pouco maior de reposição nas prateleiras em função do número menor de funcionários. O único item escasso no momento é o álcool 70%.

No Supermercado Coloda o atendimento segue de forma normal, a alteração se dá na entrega de rancho por parte do mercado, o serviço continua sendo feito, porém, não está sendo permitida a ida dos clientes no carro de entrega.

Para quem não pode postergar e precisa ir às compras em meio à pandemia é necessário redobrar a atenção e atentar aos cuidados para não favorecer a transmissão do vírus e piorar a situação.

De acordo com nota publicada pela Associação Gaúcha de Supermercados – AGAS, não há risco de desabastecimento de produtos nos supermercados gaúchos. “É hora de tranquilizar o consumidor, não haverá falta de alimentos ou de produtos de necessidade básica. Esta é uma situação diferente da greve dos caminhoneiros, por exemplo, quando o setor estava com dificuldades para receber as mercadorias da indústria. Hoje, o abastecimento está normal”, explica Antônio Cesa Longo; presidente da AGAS.

Conforme o supermercadista, a ruptura de alguns itens em supermercados maiores, que provocou a sensação de falta de produtos, foi resultado do crescimento atípico da demanda. “Alguns itens registraram em algumas horas a venda programada para uma semana. Por mais eficientes que as empresas sejam, não há como reabastecer as gôndolas nesta velocidade”, explica o presidente da Agas, sublinhando que as empresas têm estoques dos produtos e que em algumas horas o abastecimento é normalizado. “Não há risco de falta de alimentos nas lojas. A população não precisa se preocupar, já que os supermercados estão preparados, inclusive, para aumentar o abastecimento, caso necessário, como já acontece em datas festivas”, conclui Longo.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here