American Gods: série sobre novos deuses disputa lugar de GOT

0
164

Estamos há uma semana do final de Game of Thrones, a melhor série de TV da década. Sempre quando um sucesso acaba, o público fica imaginando o que vai substituí-lo. Foi assim no final de “Arquivo X”, que dominou os anos 90; de “Lost”, que ponteou os 2000; de “Walking Dead”, que teve seu ápice no início desta década. Agora, é hora de fazer as apostas para a próxima super-série. Várias despontam, entre elas “The Handmaid’s Tale”, “The Man in The High Castle”, “Westworld”, “Stranger Things” e “The NigthFlyers”. Quase fora do páreo, um seriado vem agregando fãs com uma força divina. “American Gods”, ou “Deuses Americanos” promete muito para suas próximas temporadas. A série concluiu seu segundo período, no serviço de streaming da Amazon. O enredo é baseado no best-seler homônimo de Neil Gaiman.

Saindo do Inferno

No programa o presidiário Shadow Moon é solto da prisão, alguns dias antes do final da pena. A liberação ocorre para acompanhar o funeral de sua esposa. Na viagem ao enterro ele conhece o Sr. Wednesday. Este é um pilantra envolvente que o contrata como guarda costas, para atravessar os Estados Unidos em busca de alguns “amigos”. O que Shadow não sabe é que Wednesday é um deus nórdico ancestral. Sua jornada tem o objetivo de encontrar os velhos deuses, que estão na América, para combater novas divindades que a humanidade começa a cultuar.

Deuses repaginados

Os novos deuses nada mais são que a Globalização, chamada de Mr. World, a Mídia, a Tecnologia, o Mercado, o Capital, entre outros, que querem o lugar das antigas divindades. Independente de conceitos, eles surgem como criaturas superpoderosas. Estas desejam monopolizar a atenção da humanidade. Shadow precisa guiar Wednesday em encontros por todo os Estados Unidos com os deuses das mais diversas culturas, propondo-lhes que formem um exército para a grande batalha com as novas entidades. A guerra pela eternidade parece estar só começando.

Divindade dos Quadrinhos

O autor, Neil Gaiman, é muito conhecido no mundo dos quadrinhos por escrever histórias fantásticas, como “Orquídea Negra”, ”Sandman” e “Books of Magic”. Quando fala do Romance “American Gods”, que deu origem a série de TV, Gaiman explica que sua inspiração surgiu em uma visita aos EUA onde constatou que o país não tinha deuses antigos. Britânico de nascimento, ele conta que conviveu na infância e adolescência ouvindo lendas de deuses nórdicos. Quando chegou em solo americano percebeu que os habitantes do novo mundo cultuavam outros valores. Desta forma formou-se a ideia para o conto.

O encontro dos céus

Gaiman reuniu no enredo deuses de várias etnias: russa, celta, egípcia, africana, árabe. Estes teriam vindo para os EUA junto com seus seguidores, que imigraram para o novo continente. No enredo estes deuses estão em decadência, perdendo seus seguidores na humanidade. Enfraquecidos, precisam combater os novos deuses para não sucumbir. Esta interação entre os deuses é o que torna o seriado interessante. É muito divertido ver o velho Odin debatendo com o deus africano Anansi, ou mesmo questionando a metodologia do nosso deus cristão. Acredite, até Jesus aparece no seriado.

A estrada divina

American Gods Season 1 2017

Não espere, no entanto, um programa de muita ação. American Gods tem se mostrado bastante contemplativo, como a maioria dos filmes estilo Road Movie. Esta é uma série divina, mas que prioriza debates sobre crenças religiosas e atitudes mortais. Embora tenha alguns efeitos visuais, eles são insignificantes. Já as discussões compensam bastante a falta das lutas de GOTs. De qualquer forma, existe uma guerra se aproximando e dificilmente o crescimento da audiência conseguira fazer o programa escapar de pelo menos uma batalha épica.

Que dizer para o Deus morte?

Infelizmente, no próximo domingo teremos o fim de Game of Thrones. Vários heróis de Westeros acabarão padecendo e terão seu encontro com as divindades daquele universo. Como nosso programa semanal preferido vai para o Valhala, que o troquemos por outro, que discute as divindades mais profundamente ainda. Que o próximo seriado mostre os deuses que existiam e os que infelizmente começam a ganhar peso em nossas vidas.

A verdadeira palavra

Certamente American Gods traz uma ótima discussão sobre o divino e a humanidade, sobre o que vale a pena cultuar e pelo que vale viver. É um debate necessário para que passemos a aproveitar o presente, ao invés de ficarmos esperando qual próxima crença devemos obedecer, qual mudará nossas vidas, ou qual programa precisamos assistir. American Gods é sobre deuses, mas principalmente também é sobre acreditar que as soluções dos problemas, antes de tudo, são humanas. Os deuses, podem mostrar o caminho, mas somos nós, mortais, que precisamos dar o primeiro passo.

Trailers: https://youtu.be/tLZrqTxmdv0 https://youtu.be/3SNJ20hIfv0 https://youtu.be/DyJEHh9H_KY

Elenco e Referências:

  • Shadow Moon – Ricky Whittle, Felicidade Por Um Fio, 2018
  • Mr. Wednesday – Ian McShane, Hellboy, 2019
  • Mad Sweeney – Pablo Schreiber, Covil de Ladrões, 2018
  • Mr. World – Crispin Glover, As Panteras, 2000
  • Technical Boy – Apresentando Bruce Langley
  • Media – Gillian Anderson, Arquivo X, 1993
  • Czernobog – Peter Stormare, Constantine, 2005
  • Mr. Nancy – Orlando Jones, Evolução, 2001
  • Jesus – Jeremy Davies, O Resgate do Soldado Ryan, 1998

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui