Adolescência na pós-modernidade

0
180

Questões como seja belo, seja feliz, seja magro, seja alguém de sucesso, palavras de ordem do mundo contemporâneo torna ainda mais difícil a passagem pela adolescência

As características do tempo atual pós-moderno, atribuídas por Oliveira (1998) como o rompimento da cadeia geracional, o bombardeio de informações de maneira fragmentada, aleatória e parcial, (dificultando tanto a representação da realidade como a da identidade, a busca de satisfação imediata, a exacerbação da competitividade, a apatia e a perda ou a dificuldade de manter ideais, atinge principalmente os adolescentes. Questões como seja belo, seja feliz, seja magro, seja alguém de sucesso, palavras de ordem do mundo contemporâneo torna ainda mais difícil a passagem pela adolescência.

Neste período ocorre o que Freud, pai da psicanálise relata como três grandes lutos: do corpo da infância (reconhecimento de sua nova condição sexuada ), dos pais (antes heróis idealizados, agora pessoas reais) e das relações e identidade infantil (assumir responsabilidades e reconstruir a identidade).Nesse emaranhado de crises surge a questão: Quem sou eu?

Em busca desta resposta, o adolescente neste mundo liquido, experimenta muitas coisas diferentes. Um dia é rockeiro, na manhã seguinte é rapper, e na próxima semana funkeiro. Aos poucos vai percebendo aquilo que lhe faz sentido ou não. Prefere o grupo de amigos aos pais, pois busca distinguir aquilo que é seu do que é da família.

Na adolescência, essa busca por identidade irá prepará-lo para o mundo adulto: quem ele é, o que quer fazer para sobreviver, e com qual estilo de vida mais se identifica.

É um momento cheio de possibilidades, de descobertas e de dificuldades. E estes lutos causam dor psíquica em uma sociedade determinada pela busca do prazer a qualquer preço, que é porta aberta para angústia, as depressões, as drogas, a anorexia/bulimia tão frequentes na atualidade e produtos do excesso.

Nossos jovens estão crescendo num mundo de entregas rápidas, de soluções imediatas, de falta de espaço para a espera e o amadurecimento. A rapidez das mudanças da modernidade torna problemática a transmissão de uma tradição de pais para filhos e os jovens precisam da solidez dos valores para sua saúde psíquica.

Os pais de adolescentes devem permanecer presentes, vigilantes, mas aceitar o distanciamento que ele estabelece, respeitando as crises de rebeldia, o uso de um novo linguajar, de roupas extravagantes e os silêncios como construção de suas ideias próprias, buscando resistir às contestações sem sentir-se atacado. O desafio é a criação de novas subjetividades, onde a informação e o conhecimento não excluam o investimento em vínculos afetivos. É necessário que os jovens saiam à luta, encarem as frustrações que toda conquista requer e não exijam que o mundo lhe entregue tudo na mão como tem acontecido nesta época do delivery: motoboy, fast food, whattsapp… o consumismo desenfreado liga-se ao vazio emocional levando ao uso de drogas e a dificuldade de tolerância à frustração.

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui