Comunidade se une para restaurar placa do Padre Pedro

0
402
Foto: Zaira Ballardin

Antiga estrutura com cerca de 10 anos estava abandonada. Placa identifica rodovia que leva o nome de Padre Pedro Rizzon

No último fim de semana membros das comunidades de São Marcos e Criúva, representantes da comissão que organiza a Romaria em honra ao Padre Pedro Rizzon, inauguraram nova estrutura às margens da via que leva o nome do padre e liga as duas localidades.

Conforme Claudemir Rech, um dos idealizadores, a placa foi instalada na época em que a VRS 315 foi nominada de Padre Pedro Rizzon, em meados de 2009. Ele relata que nos últimos anos a placa ficou abandonada.

“Em 2019 quando nos reunimos pra preparar a festa do padre Pedro, antes da pandemia, decidimos que teríamos que dar uma uma atenção especial pra essa placa. Então, foi onde começou uma mobilização, nós da comissão, pra restaurar a placa antiga que tinha. Desde então, um deu a estrutura, outro deu adesivo, outro a mão de obra e a gente foi juntando os recursos e foi fazendo”, conta Claudemir.

Ele destaca que não houve nenhuma interferência do poder público nesta ação, nem durante os últimos tempos em que a placa acabou indo ao chão. “Já em contrapartida, existem várias pessoas que são muito devotas do padre que nos ajudam pra deixar da forma que ela tá”, salienta.

A nova placa conta com sapata de três metros cúbicos de concreto, estruturada em ferro e arte impressa em lona, com imagem do Padre Pedro. Conforme os organizadores, falta apenas iluminação e será instalada em breve. A estruturada fica no mesmo local da antiga, na saída para Criúva.

Quem foi Padre Pedro Rizzon

Nasceu no município de São Marcos em 26 de abril de 1918, filho de agricultores, estudou até a 5ª série primária na escola da Linha Tuiuti do mesmo Município. Continuou seus estudos nos cursos de humanidades, ginásio e colégio, na cidade de São Leopoldo. No seminário de Nossa Senhora da Conceição frequentou os cursos de Filosofia e Teologia.

Durante 22 anos atuou como pároco do Distrito de Criúva, município de Caxias do Sul, sendo conhecido pelo incentivo à Festa do Divino Espírito Santo, um dos maiores patrimônios religiosos da Serra Gaúcha. Em Caxias do Sul, foi Reitor do Seminário Nossa Senhora Aparecida, pároco do Bairro São Vicente e atuou diversos anos como professor da Universidade de Caxias do Sul, ministrando aulas nos cursos de sociologia, economia, administração de empresas e ciências contábeis, aposentando-se em 1980 como professor universitário.

Face ao reconhecimento da relevante atuação religiosa, social e comunitária teve o mérito de rezar novenas em honra a Nossa Senhora do Pedancino em Cismon di Grappa, na Itália e recebeu a outorga do Título “Cittadino Honorevolle” da cidade de Chambery, na França. Também destaca-se, que em 1992 recebeu o Título de Cidadão Caxiense, da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul por iniciativa do então vereador Kalil Sehbe, e, em agosto 2002 recebeu a Medalha Dom Benedito Zorzi – Mérito Educação proferida pela Universidade de Caxias do Sul. Padre Rizzon faleceu em São Marcos no dia 19 de agosto de 2004, aos 86 anos de idade.

Em Criúva há memorial e estátua em bronze do Padre Pedro, além das romarias.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here