Como São Marcos se prepara para o futuro

1
748

Acompanhe matéria especial sobre os ‘Objetivos de Desenvolvimento Sustentável’ estabelecidos pela ONU. 5 perguntas ao secretário Municipal do Meio Ambiente, Fabiano Varela

Em 2015, a Organização das Nações Unidas (ONU) reuniu  193 países, para a criação da nova agenda global do desenvolvimento, 17 objetivos e 169 metas foram estabelecidas.  Todos os membros da cúpula assinaram o tratado, sendo assim cada país deverá adotar medidas de combate a desigualdade e proteção ao meio ambiente de maneira sustentável.

Assim surgiram os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), de modo com que os nossos representantes possam monitorar o crescimento social, implementar e inovar através de políticas públicas. Papel este que também cabe a cada um de nós cuidar e vigiar, o que está sendo feito pelo bem da sociedade.

A ONU estima que até 2030  a população mundial vai bater a marca de 8,5 bilhões de habitantes. Antes que isto ocorra de fato, precisamos estar preparados para abrigar essas pessoas com educação de qualidade, saúde, saneamento básico e infraestrutura. Caso não ocorra de maneira linear, estamos contribuindo para a escassez de elementos naturais. Além de agravar a desigualdade social que assola todo território nacional.

Saiba mais: https://brasil.un.org/pt-br/

No Rio Grande do Sul, 32,1% da população tem acesso a rede de tratamento de esgoto, índice retirado do Sistema Nacional de Informação Sobre o Saneamento (SNIS), pesquisa feita no período dos anos de 2018/2019. Deste modo, procuramos saber como São Marcos – RS está se preparando para o futuro. E para facilitar a discussão destes assuntos, colocamos  no contexto atual da cidade e separamos tópicos referentes a infraestrutura e saneamento básico.

Entramos em contato com a assessoria de comunicação do centro administrativo  de São Marcos, onde tivemos o retorno do Secretário Municipal do Meio Ambiente, Fabiano Varela.  Onde realizamos 5 perguntas que visam o futuro do nosso município.

  • Já ouviu falar dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)?

R: Sim. O desenvolvimento sustentável é baseado em 3 pilares: econômico social e ambiental. A administração pública em todas suas ações preza pela sustentabilidade, seja em uma simples obra de pavimentação urbana que considera o ambiente que a obra está inserida, o licenciamento ambiental, o número de pessoas que irão melhorar sua qualidade de vida e a economia que irá gerar ao cofres municipais tendo em vista a redução de manutenção no trecho. Além de prever questões ligadas a drenagem de águas pluviais, evitando alagamentos.

  • Tendo em vista que pequenas cidades se tornam médias e médias se tornam grandes. No seu ponto de vista, São Marcos está preparada estruturalmente, para abrigar mais pessoas?

R: Está se preparando, nesses últimos anos percebemos uma grande evolução na infraestrutura municipal, obras de grande porte foram realizadas, prevendo a expansão urbana.

Ressalto 2 que consideramos principais: as macrodrenagens da Carlos Gomes e da Bepo/Bontempo, que em períodos de grandes chuvas sofriam com alagamentos e as famílias que moram nessas áreas acumularam perdas consideráveis.

É um processo gradativo. Evoluímos muito em pavimentações nos últimos anos, estamos levando também asfalto para o interior, já foram cerca de 20km de estradas de chão asfaltados, e tudo isso são ações que expandem os horizontes para São Marcos.

A atual administração também está desenvolvendo um loteamento habitacional e com projetos para um loteamento industrial, justamente com o objetivo de possibilitar a casa própria e mais empregos.

  • Quais são as políticas públicas que estão sendo adotadas hoje em nosso município, para a resolução desse problema futuro, no âmbito de infraestrutura e urbanismo?

R: Uma das principais ferramentas de organização da cidade que o poder público dispõe é o plano diretor, lei que foi atualizada no início de 2021 e será discutida com a sociedade através de audiências públicas, assim que protocolos de prevenção à Covid-19 permitam.

Sobre a infraestrutura, está em desenvolvimento o projeto Avançar Cidades, projeto esse que tem a participação financeira da comunidade beneficiada através de contribuição de melhoria e poderá ser parcelada em até 60x com parcelas mínimas de $50,00. Projetos esses que contemplam, drenagem, pavimentação e acessibilidade.

  • No Rio Grande do Sul apenas 32,1% da população tem tratamento e coleta de esgoto, dado retirado do Sistema Nacional de Informação Sobre o Saneamento (SNIS), pesquisa feita em 2018. Fizemos parte do número citado acima? Qual é a real situação de São Marcos no momento?

R: São Marcos tem rede coletora de esgoto mista, em 92% dos domicílios, em todas as aprovações de construções, na emissão do habite-se se exige fossa, filtro e sumidouro, que filtra o esgoto sanitário em 90%. Em novos loteamentos existe a exigência de rede separadora absoluta, onde se exige uma rede exclusiva para esgoto e outra rede de drenagem pluvial. Prevendo futuramente a instalação de estações de tratamento de esgoto, que deverão ser assumidas pela concessionária Corsan, que é quem detém através de contrato a responsabilidade pelo esgotamento sanitário e abastecimento de água.

  • Quais são as políticas adotadas por parte da administração?

R: Como comentado anteriormente, todas as ações municipais se baseiam na sustentabilidade o município tem que cumprir metas estabelecidas no plano de saneamento, plano intermunicipal de resíduos sólidos, e no novo marco regulatório do saneamento, que preveem ações de curto, médio e longo prazo na gestão de ações de cunho ambiental.

 

1 COMMENT

  1. Esgoto a céu aberto.
    Residencias sem fossa.
    Boca de lobo abertas, sem grades…..etc
    Era uma vez um rio q virou esgoto.
    Lixo + lixo + lixo.
    Isso é sustentabilidade ?
    Deveriam ir nas escolas ensinar as crianças ECOLOGIA.
    ISSO É FUTURO.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here