São-marquenses relatam drama de caminhoneiros e comerciantes na Ceagesp

0
3377
Anderson Ferreira, de 35 anos ficou com caminhão ilhado. Fotos: arquivo pessoal

Motoristas gaúchos que esperam a situação se normalizar falaram com o SMO esta manhã, após alagamentos em São Paulo

O temporal que acometeu a cidade de São Paulo durante a madrugada do domingo (9) e seguiu ainda na segunda-feira (10) causou prejuízos que devem ultrapassar a casa dos R$ 140 milhões, isso apenas para o comércio, conforme dados da FecomercioSP.

Os rios Tietê e Pinheiros transbordaram e a Ceagesp, maior central de abastecimento de alimentos da América Latina e terceiro maior do mundo foi totalmente inundada. O fato deverá implicar em falta de produtos nos próximos dias.

Não bastasse o prejuízo em alimentos, há também o impacto em infraestrutura e logística, com caminhões estragados, parados e trânsito lento, como explicam dois caminhoneiros de São Marcos entrevistados nesta terça-feira (11) pela reportagem do SMO.

” É triste de ver, muitos prejuízos”

“A situação é de caos total, a água subiu muito rápido e quando acordei por volta das 6h de segunda a água já estava na porta do caminhão, pra mais de metro e meio, e isso que estou em um local mais alto. É triste de ver, muitos prejuízos, só danos materiais, mas alguns caminhões terão perda total” retratou Anderson Ferreira de 35 anos, que está com caminhão da Transportes Serafim.

Anderson contou que passou a última noite na casa de um cliente que tem um box na Ceagesp e retornou hoje pela manhã para avaliar as condições da carga e do caminhão conforme a água ia baixando.

“Não tinha o que fazer, mas graças a Deus fiquei bem e agora estamos aqui, trabalhando, tenho que colocar a carga e tirar a água dos tanques de combustível”, disse o motorista. O caminhão de Anderson não teve a carga afetada e será descarregado. Já o motorista e o caminhão devem voltar com guincho da empresa Movimentus, de São Marcos, que por ocasião está naquela região.

“Foi terrível o que aconteceu ontem aqui”

Outro motorista são-marquense ficou preso no trânsito na região da Vila Maria, às margens da marginal Tietê.

“Hoje tá mais tranquilo, parou a chuva forte e a água tá baixando, mas qualquer chuvinha que der de novo vai dar enchente novamente porque o solo tá muito úmido ainda”, informou João Paulo Poclitor, de 34 anos que trabalha para empresa de Garibaldi.

O caminhoneiro está com carga de embalagens com destino à Porto Alegre e ficou horas preso no trânsito. “O trânsito já está liberado em vários pontos da cidade, a marginal Tietê também foi liberada, mas tem bastante barro ainda, estão limpando aos poucos, foi terrível o que aconteceu ontem aqui”, relatou esta manhã à reportagem do São Marcos Online.

João Paulo informou que esta noite irá partir de São Paulo rumo ao Rio Grande do Sul, conforme o trânsito permitir.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here