Vigilância alerta para riscos com animais peçonhentos durante o verão

0
1096

Em 2018 foram registrados 14 acidentes envolvendo aranhas e 3 com abelhas. Apesar do aparecimento de escorpiões não há casos de ataques por este animal. Confira formas de prevenção.

Acidentes com animais peçonhentos, como aranhas, escorpiões, serpentes e lagartas urticantes são comuns no Brasil e isso não acontece por acaso. Por conta do clima tropical e da diversidade local, o país reúne centenas de espécies desses animais. Eles possuem presas; ferrões; cerdas; espinhos; entre outros, capazes de envenenar as vítimas.

As medidas de controle e manejo populacional de animais peçonhentos baseiam-se na retirada/coleta dos mesmos e modificação das condições do ambiente a fim de torná-lo desfavorável à ocorrência, permanência e proliferação destes animais.

Por iniciativa da Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância em Saúde, informativos contemplando ações de precaução que podem ser tomadas contra animais peçonhentos serão divulgados nos meios de comunicação da cidade.

Confira algumas medidas que você pode adotar:

Na área externa do domicílio:

  • Manter limpos quintais e jardins, não acumular folhas secas e lixo domiciliar;
  • Não jogar lixo em terrenos baldios;
  • Limpar terrenos baldios situados nas redondezas dos imóveis;
  • Evitar a formação de ambientes favoráveis ao abrigo dos animais, como obras de construção civil e terraplenagens que possam deixar entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc;
  • Remover periodicamente materiais de construção e lenha armazenados, evitando o acúmulo exagerado;
  • Remover folhagens, arbustos e trepadeiras junto às paredes externas e muros;
  • Manter fossas sépticas bem vedadas;
  • Rebocar paredes externas e muros para que não apresentem vãos ou frestas;
  • Não colocar mãos ou pés em buracos, montes de pedra ou lenha;
  • Usar sempre calçados e luvas durante as atividades rurais;
  • Usar telas e vedantes em portas, janelas e ralos;

Na área interna do domicílio

  • Rebocar paredes para que não apresentem vãos ou frestas;
  • Vedar soleiras de portas com rolos de areia ou rodos de borracha;
  • Telar as aberturas dos ralos, pias ou tanques;
  • Telar aberturas de ventilação de porões e manter assoalhos calafetados;
  • Manter todos os pontos de energia e telefone devidamente vedados;
  • Sacudir e examinar calçados e roupas antes de usar;
  • Não deixar roupas penduras em pregos ou próximas a paredes.

Na ocorrência de acidentes com animais peçonhentos, procure assistência médica, mesmo sem sintomas aparentes e, sempre que possível, levar o animal ou fotografar para que possa ser identificado o agente agressor.A cura do paciente acidentado depende da rapidez do diagnóstico e do uso de medicação adequada.

Caso ocorra incidência desses animais na sua residência, faça a captura correta e segura e leve-o para identificação, ou solicite que um profissional o faça por meio de uma visita de análise de risco ambiental à Vigilância Ambiental em Saúde pelo fone (54) 3291-6428.

Fonte: Prefeitura de São Marcos

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui