Produtores de São Marcos recebem sementes de alho livre de vírus

0
152
Foto: Angelo Batecini Junior - SMO

Cerca de 12 toneladas de sementes da variedade São Valentin irão ampliar produtividade e competitividade do alho são-marquense

A Emater/RS-Ascar e a Secretaria Municipal da Agricultura de São Marcos encerraram, na última semana, a entrega de sementes de alho livre de vírus, que vinha sendo realizada desde o início de março. Cerca de 30 produtores receberam 12 toneladas de sementes, sendo este o primeiro alho livre de vírus da variedade São Valentin que será plantado no município. Conforme o técnico da Emater/RS-Ascar, Eri Zanella, essa é uma medida que vem agregar, já que o alho livre de vírus pode ter uma produtividade até 20% maior.

Ele explica que o alho produzido no município é o alho roxo nobre, que é diferente do alho branco importado da China, mas mesmo assim sofre a concorrência do produto chinês. Nesta safra, a área cultivada deverá ser igual a de 2017 (200 ha) ou um pouco maior, apesar do preço recebido neste ano, que não cobre os custos de produção. O plantio já iniciou e se estende até o dia 15 de julho, sendo que a produtividade média no município deverá ficar entre 10 a 12 ton./ha. Os maiores compradores desta produção são os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. O município de São Marcos também possui um produtor de alho orgânico e uma agroindústria que encartela o produto e abastece o mercado na região da Serra.

Zanella explica que antes do plantio o alho é vernalizado em câmara fria, ou seja, como o inverno no município normalmente não fornece as 800 horas de frio até 4ºC necessárias para a cultura, esse frio é suplementado em câmara fria, onde o produto fica por 30 dias, em temperatura de 2 a 4ºC, com 60% de umidade, e depois é debulhado e plantado.

Foto: Emater – Semente estregues aos produtores são-marquenses

No momento, os produtores também estão comercializando a produção da última safra. Como esse ano os produtores estão com dificuldade para vender, a Emater/RS-Ascar elaborou laudos técnicos, com subsídios da Associação Nacional dos Produtores de Alho (Anapa), e uma instituição bancária, que financiou o custeio, deu descontos de 25 a 35% para os produtores, devido à dificuldade de pagamento, já que o preço obtido está abaixo do custo de produção, esclarece Zanella, que afirma que os produtores estão apostando na próxima safra, esperando que seja melhor.

No último dia 8, no Auditório Municipal Joaquin Grison, houve reunião técnica sobre manejo no cultivo do alho São Valentin livre de vírus, com a participação de 50 produtores de alho sendo 34 do município e os demais dos municípios vizinhos.

Na região a produtividade é baixa se comparada com o centro oeste do Brasil e esta tecnologia permitirá competitividade com outras regiões e até com o alho importado de outros países.

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui