Literatura Infantil: um mundo de imaginação e fantasia

0
1095

Ler e contar histórias são atividades que atravessam o tempo e vêm de geração em geração, trazendo novos conhecimentos, possibilitando que saberes sejam transmitidos e mantidos, fazendo com que muitos costumes e valores sejam preservados.

Ao ler uma história, abrimos uma porta para um mundo mágico, diferente do habitual, em que o tempo cronológico não importa, e sim o tempo do “era uma vez”… Podemos nos transportar para outros lugares, ao mesmo tempo em que experimentamos diferentes sensações e sentimentos, nos envolvemos com os desafios da leitura. A partir das inúmeras possibilidades que uma história pode suscitar, aprendemos coisas que, embora tenham sido trazidas em um momento de “faz de conta”, nos ajudam a lidar com situações da vida cotidiana como medo, raiva, entre tantas possibilidades. A leitura de textos de literatura infantil, mesmo para crianças ainda não alfabetizadas, é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, as emoções e os sentimentos de forma prazerosa e significativa.

O hábito da leitura na infância ajuda a despertar o senso crítico na criança, ela adquire mais facilmente o conhecimento, além de se comunicar melhor.  O contar histórias na sala de aula é muito significativo, principalmente quando o professor é um ótimo leitor e, através da sua narrativa, expressão facial e entusiasmo com que conta a história, incentivando-os a viajar com ele, desperta na criança o desejo de ler como ele e ouvir histórias. Por esses motivos o trabalho com literatura deve ser privilegiado na rotina escolar. É importante planejar as situações didáticas na hora da escolha da leitura, para que as intervenções realizadas contribuam realmente com o desenvolvimento e a aprendizagem.

            Ao trazer a literatura infantil para a sala de aula, o professor estabelece uma relação dialógica com o aluno e sua realidade. Além de contar ou ler a história, ele cria condições para que a criança trabalhe com a história a partir de seu ponto de vista, trocando opiniões, defendendo atitudes e personagens, criando novas situações através das quais as próprias crianças vão construindo uma nova história. Uma história que retratará alguma vivência da criança, ou seja, sua própria história. De acordo com Abramovich (1995, p.17),

Ler histórias para crianças, sempre… É poder sorrir, rir, gargalhar com as situações vividas pelas personagens, (…) e, então, poder ser um pouco cúmplice desse momento de humor, de brincadeira, de divertimento… É também suscitar o imaginário, é encontrar outras ideias para solucionar questões. É uma possibilidade de descobrir o mundo imenso dos conflitos, dos impasses que todos vivemos e atravessamos através dos problemas que vão sendo defrontados, resolvidos (ou não)… É a cada vez ir se identificando com o personagem (cada qual no momento que corresponde àquele que está sendo vivido pela criança)… e, assim, esclarecer as próprias dificuldades ou encontrar um caminho para a resolução delas…

Portanto, a conquista do pequeno leitor se dá através da relação prazerosa com o livro infantil, onde fantasia e imaginação se misturam numa realidade única e o levam a vivenciar as emoções em parceria com os personagens da história.

É por toda essa potencialidade que a literatura, se faz importante para o desenvolvimento da criança e deve fazer parte das escolhas pedagógicas do professor.

Artigo escrito pelas professoras da rede municipal de ensino de São Marcos:

 Daiane Casarotto Spigolon e Gisele Cátia Carraro

Deixe uma resposta

Por favor, digite seu comentário
Por favor, coloque seu nome aqui